Carl Hovland

 

Biografia:

Nascido em Chicago, Estados Unidos, em 1912, filho de imigrantes escandinavos. Estudou matemática, ciências e psicologia na Universidade Northwestern.

Carl Iver Hovland foi um dos pioneiros da perspectiva funcionalista junto com Paul Lazarsfeld Harold Lasswel. Carl Hovland era o psicossociólogo do trio, interessando pelos fenômenos de persuasão nos pequenos grupos, assim como os processos de informação das opiniões individuais. A ele se deve o sleeper efecct (os efeitos de uma mensagem podem ser mais fortes ou mais fracos, na recepção e ao fim de algum tempo).

Trabalhou primeiramente na Universidade de Yale e no Exército dos E.U.A. durante a Segunda Guerra Mundial onde estudou atitude e persuasão. Relatou o efeito dorminhoco após ter estudado os efeitos do Capra Frank, película da propaganda Porque nós lutamos em soldados. Em estudos posteriores Hovland colaborou com Irving Janis, quem se tornaria mais tarde famoso por sua teoria groupthink. Hovland tornou-se também teórico social do julgamento da atitude de mudança.

 

Idéias principais:

Durante a sua formação de doutorado, Hovland levantou os alicerces dos primeiros estudos sobre os processos de aprendizagem dos seres humanos, onde entende-se que há uma resposta derivada de um estímulo para baixo com intervalo de tempo crescente desde que o teste experimental serviu de circunstâncias cognitivas.

Estudos mostraram também que aplicações empíricas são ligadas ao meio ambiente e ao contexto em que elas são feitas e, portanto, o teste tem um caráter de um gatilho de indução, dada em um momento e ambiente, raramente iguais aos que ocorrem em resposta derivados da experiência real.
Durante a Segunda Guerra Mundial levou o Departamento de Guerra dos estudos sobre a persuasão e seus efeitos sobre a mudança de atitudes, através da informação e propaganda. Há avaliados com uma grande equipe de pesquisadores, muitas produções cinematográficas e documentários destinadas a aumentar e manter o moral dos soldados, e tentou entender os efeitos persuasivos da informação jornalística não tanto como propaganda. Começa aqui o trabalho, que teve como objetivo desvendar os processos e amálgamas capaz de mudar sua mente e comportamento.

Hovland estava ciente, no entanto, que a natureza específica da investigação realizada nas forças armadas, haveria de ser de uma forma muito fechada (barracas), como um laboratório humano com induções artificiais em simulações de um avião, com uma audiência uniforme ao longo do (geracional e cultural) e dramáticas circunstâncias ambientais (a guerra). Esta consideração o forçaram a entrar a correção ou distanciamento metodológico como um princípio no seu trabalho muito amplo experimental. As circunstâncias de qualquer medida afetar os resultados.

 

Principais obras:

Entre seus principais livros, escreveu:

·               Experiências em Comunicação de Massa (1949), com Lumsdaine Arthur, Fred e Sheffield.

·               Comunicação e Persuasão (1953), com Irving Janis e Kelley Harold.

·               Efeitos dos meios de Comunicação de Massa (1954).

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: